segunda-feira, 20 de dezembro de 2010



É o meu novo projecto de artesanato urbano.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

reciclagem.

este blog está em metamorfose pessoal.
algumas mudanças são visíveis, outras - espera-se - serão interiores.
aos que (muitas vezes) sigo em silêncio, guardei-os numa gavetinha e continuarei a seguir-lhes o rasto.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Breve relato da manhã, enquanto corria contra a nortada

O céu estava pesado, caíam bátegas regulares sopradas pela nortada inclemente e o mar era uma massa fervente de espuma banca que parecia capaz de vir por ali acima e engolir tudo. Em Matosinhos, porém, uma mulher loura e um pouco pesada pôs-se em roupa interior e correu pela areia em direcção ao mar, como se não houvesse vento, chuva ou frio. Pareceu-me uma pessoa muito livre ou muito louca. Devia estar feliz.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

aaaaaaahhh!...


meu deus.
quer dizer,
minha deusa.

sábado, 16 de outubro de 2010

A home away from home.

Mr Piers Faccini embalou-me a alma com a intimidade e as viagens das suas músicas.


(Auditório de Espinho, 15.10.2010)



The wind that blows quiet knows a song as soft as silence
goes into each thread a secret said: the sun and moon on a wedding bed.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Je te laisserai des mots...



para fechar os olhos
e respirar...

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Coisinhas bonitas:


...e um dia vou tocar a minha melódica e vou ser assim feliz.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

I’m looking for the shelter from the storm...


...the storm is getting closer every day.

domingo, 8 de agosto de 2010

Muito mais que um pézinho de dança...


O já conhecido Andanças, no qual a presença o coração obriga. Carvalhais, lugar mágico de encontros e partilhas:



E também, este mês e no próximo:



E ainda:

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

mazurka

o som quase ritmado dos passos como respirações ofegantes, entre corpos que anseiam a noite.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Close to Paradise with PW II

À falta de palavras - qualquer tentativa de descrever algo tão genial, intenso e único seria inútil - ficam as imagens de mais um concerto que fez o meu mundo parar. As fotografias do pré e pós, os vídeos, o desvario emocional, a conversa, vou mantê-los só para mim (ou partilhar com quem me desafie à tentativa de relatar estes momentos tão especiais). Convenhamos que há coisas que só o coração sabe... e essas merecem a sua privacidade.


(Patrick Watson e os seus fantásticos Wooden Arms, SBSR '10)


(Para rever o primeiro deslumbramento directo: aqui.)

Super Bock Super Rock '10

Como em todos os festivais, somos obrigados a fazer escolhas. Com um cartaz assim, tive ainda mais dificuldade em tomar algumas decisões, mas não me arrependo de nada que vivi - fiquei bastante satisfeita com as minhas escolhas, não deixando de lamentar, contudo, algumas perdas e o facto de não ter conhecido muitas bandas novas.

O meu SBSR de 2010 teve direito a St Vincent, Beach House, Grizzly Bear, um pouco de Tiago Bettencourt & Mantha, uma pitada de Sweet Billy Pilgrim, uns acordes de Holly Miranda, Julian Casablancas, Patrick Watson, uns abanões de Vampire Weekend :), alguns saudosismos de Palma's Gang, uns toques de The Morning Benders, Wild Beasts, The National e John Butler Trio. Um saldo que rebentou a escala, tendo ficado, no entanto, o desejo de rever algumas destas bandas num contexto mais limpo e intimista.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Vou, finalmente, sonhar para outros lados!


sexta-feira, 9 de julho de 2010

para morrer do coração

...ou como tirar a barriga da miséria!




* Arcade Fire lançam novo álbum, em Agosto

+

* Arcade Fire em Santiago de Compostela, em Setembro

+

* Arcade Fire em Lisboa, em Novembro !

quarta-feira, 7 de julho de 2010

À «Fada-madrinha da literatura infantil portuguesa», à Senhora que nunca deixou de ser menina.

Matilde Rosa Araújo foi uma de algumas figuras especiais que marcaram a minha infância.
Escritora,
professora,
defensora do ser criança,
estará, com certeza, a descansar numa estrela muito brilhante.


(imagem retirada do blog letra pequena, que apresenta também um vídeo que recomendo.)

terça-feira, 6 de julho de 2010

somewhere between waking and sleeping...


«There is a place that I have seen:
somewhere between waking and sleeping.
Leaning over the side, trailing my fingertips,
feeling the water slip into the quiet night.»
[Air]


domingo, 4 de julho de 2010

Desejos...



«I don't know, I can't contain my heartbeat!...
I am dancing, shrouded by green trees.
I am whirling, wearing my sun feet
and humming children to sleep

domingo, 27 de junho de 2010

Não fui para o facebook para me autopromover. Não fui para mostrar que tenho muitos amigos, que conheço muitas bandas e filmes alternativos, ou que vou a muitos concertos. Não fui para mostrar que mudei de penteado, que uso roupa diferente, nem que tiro fotografias bonitas. Não fui para mostrar que conheço e gosto de tudo e de todos, nem para mostrar com quem estive na noite passada. Já vi o que tinha a ver e cansei-se do que as pessoas fizeram do facebook. Vou continuar por outras bandas; quem tiver interesse em manter contacto saberá onde me encontrar - aqui, por exemplo.

domingo, 20 de junho de 2010

A minha Joaquina deu-me miminhos:


I love it all so much.
I call - I want you back!

It sounds like we would of had a great deal to say to each other.
I bet when I leave my body for the sky, the wait will be worth it.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Ele próprio era Blimunda Sete-Luas...


«Olharei a tua sombra se não quiseres que te olhe a ti, disse-lhe, e ele respondeu, Quero estar onde a minha sombra estiver, se é lá que estiverem os teus olhos.»

(José Saramago, in O Evangelho segundo Jesus Cristo)


[Deixa-te levar pela criança que foste.]

quarta-feira, 9 de junho de 2010

pensamentos na piscina #2

uma aula de hidroginástica filmada debaixo de água daria um óptimo videoclip.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Without us song is nothing.

(imagem retirada daqui)

Will Oldham é um senhor especial.
E veio a Portugal como Bonnie 'Prince' Billy e, com o seu gang, deu ao Teatro Aveirense uma noite única.




So I'll sit and smile here with you, like I never thought I'd do. (...)
I never thought the sun would rise in the east and set in west; I figured I owned just dark skies and that darkness fit me best.



domingo, 6 de junho de 2010


cérebro
STOP agredeço-te que deixes de sonhar durante a noite STOP a minha cabeça precisa de descansar STOP


domingo, 30 de maio de 2010

curvo - festival incerto de música urbana @ TA


As expectativas eram altas, mas o Teatro Aveirense (TA) esteve bem mais do que à sua altura:



* Rita Braga menina inocente mas promissora


* Matt Elliott um senhor poderoso, arrebatador


* Warpaint 4 presenças contagiantes, sedutoras


* Mariana Ricardo jovem doce e descontraída


* Here We Go Magic grupo denso, enfeitiçante


* Scout Niblett alma intensa, intimista


Ficam as sugestões, as surpresas, o preenchimento interior e o desejo de que, para o ano, haja mais numa mesma qualidade. O TA está de parabéns!

sábado, 29 de maio de 2010



mj está
pelo matt elliott.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Tonight I sleep to dream of a place that's calling me



This night of balmy summer breeze

This night that makes us all believe


You make wanna measure stars in the backyard with a calculator and a ruler baby!...
I found a letter that describes how the moonlight will lead me to the distant place that you will be.

Uma noite doce, com umas meninas amorosas, que enchem a sala com a magia das suas canções. Au Revoir Simone @ Cineteatro de Estarreja



There's magic everywhere
, if we can see everything that we could be noticing...

And really see we can wake from the scenes we're all dreaming.



quarta-feira, 19 de maio de 2010

One day like this, por favor.




Oh, kiss me like the final meal,
kiss me like we die tonight!...

domingo, 16 de maio de 2010

Como um instante único na vida.

Mais uma vez, orgulhosamente música portuguesa, A Naifa.
Solidamente, A Naifa homenageando, através da força como grupo e banda, um Aguardela não presente fisicamente, mas vivo em qualquer melodia.

Como um raio a rasgar a vida, como uma flor
a florir desmedida, como uma cidade secreta
a levantar-se do chão, como água, como pão

Como um instante único na vida, como uma flor
a florir desmedida, como uma pétala dessa flor
a levantar-se do chão, como água, como pão,

Assim nasceste no meu olhar, assim te vi,
flor a florir desmedida, instante único
a levantar-se do chão, a rasgar a vida,

Assim nasceste no meu olhar, assim te amei,
vida, água, pão, raio a rasgar uma cidade secreta
a levantar-se do chão, flor a florir desmedida

(letra _josé luís peixoto
música _a naifa)



quinta-feira, 13 de maio de 2010

Lovely.













(
Carey Mulligan @ An Education by Lone Scherfig)


sexta-feira, 7 de maio de 2010

E assim se concretizam sonhos...

...entre as companhias perfeitas, em duas horas e meia arrepiantes com Rufus Wainwright ao piano.
(mais detalhes aqui.)


So, please, be kind if I'm a mess!...

sábado, 24 de abril de 2010

I tried to swallow all of the world and now I’m diving in too deep.




What am I supposed to do?
Am I supposed to echo all of you?
Am I supposed to fall back to the sky?
Or keep on rising for a while?



sábado, 10 de abril de 2010

sábado, 3 de abril de 2010


A tua secura não é errada - é só a forma em que embalas a tua ternura.
Eu sei bem que gostavas de andar nua, mas o mundo está aquém das tuas vontades.



(as palavras e a música são dos Les Saint Armand, que eu gosto muito.)

sexta-feira, 2 de abril de 2010

quarta-feira, 31 de março de 2010

Saldo do dia - para a brincadeira, espontaneamente, mas não menos honesto:

nos últimos tempos, ando a comer mais polla do que pollo.

(perdoa-de, Joaquininha, se não parafraseeei correctamente.)

terça-feira, 30 de março de 2010


fui hoje à praia lançar o coração, perdão, um papagaio ao vento.

A Day in the Life of Oscar the Cat (III)


Within a half hour the family starts to arrive. Chairs are brought
into the room, where the relatives begin their vigil. The priest is called to deliver last rites. And still, Oscar has not budged, instead purring and gently nuzzling Mrs. K. A young grandson asks his mother, "What is the cat doing here?" The mother, fighting back tears, tells him, "He is here to help Grandma get to heaven." Thirty minutes later, Mrs. K. takes her last earthly breath. With this, Oscar sits up, looks around, then departs the room so quietly that the grieving family barely notices.

On his way back to the charting area, Oscar passes a plaque mounted on the wall. On it is engraved a commendation from a local hospice agency: "For his compassionate hospice care, this plaque is awarded to Oscar the Cat." Oscar takes a quick drink of water and returns to his desk to curl up for a long rest. His day's work is done. There will be no more deaths today, not in Room 310 or in any other room for that matter. After all, no one dies on the third floor unless Oscar pays a visit and stays awhile.

Note: Since he was adopted by staff members as a kitten, Oscar the Cat has had an uncanny ability to predict when residents are about to die. Thus far, he has presided over the deaths of more than 25 residents on the third floor of Steere House Nursing and Rehabilitation Center in Providence, Rhode Island. His mere presence at the bedside is viewed by physicians and nursing home staff as an almost absolute indicator of impending death, allowing staff members to adequately notify families. Oscar has also provided companionship to those who would otherwise have died alone. For his work, he is highly regarded by the physicians and staff at Steere House and by the families of the residents whom he serves.


(David M. Dosa, M.D., M.P.H., The New England Journal of Medicine, July 26, 2007)

A Day in the Life of Oscar the Cat (II)


Twenty-five minutes later, the door finally opens, and out walks
a nurse's aide carrying dirty linens. "Hello, Oscar," she says. "Are you going inside?" Oscar lets her pass, then makes his way into the room, where there are two people. Lying in a corner bed and facing the wall, Mrs. T. is asleep in a fetal position. Her body is thin and wasted from the breast cancer that has been eating away at her organs. She is mildly jaundiced and has not spoken in several days. Sitting next to her is her daughter, who glances up from her novel to warmly greet the visitor. "Hello, Oscar. How are you today?"

Oscar takes no notice of the woman and leaps up onto the bed. He surveys Mrs. T. She is clearly in the terminal phase of illness, and her breathing is labored. Oscar's examination is interrupted by a nurse, who walks in to ask the daughter whether Mrs. T. is uncomfortable and needs more morphine. The daughter shakes her head, and the nurse retreats. Oscar returns to his work. He sniffs the air, gives Mrs. T. one final look, then jumps off the bed and quickly leaves the room. Not today.

Making his way back up the hallway, Oscar arrives at Room 313. The door is open, and he proceeds inside. Mrs. K. is resting peacefully in her bed, her breathing steady but shallow. She is surrounded by photographs of her grandchildren and one from her wedding day. Despite these keepsakes, she is alone. Oscar jumps onto her bed and again sniffs the air. He pauses to consider the situation, and then turns around twice before curling up beside Mrs. K.

One hour passes. Oscar waits. A nurse walks into the room to check on her patient. She pauses to note Oscar's presence. Concerned, she hurriedly leaves the room and returns to her desk. She grabs Mrs. K.'s chart off the medical-records rack and begins to make phone calls.


(David M. Dosa, M.D., M.P.H., The New England Journal of Medicine, July 26, 2007)


A Day in the Life of Oscar the Cat (I)


Oscar the Cat awakens from his nap, opening a single eye to
survey his kingdom. From atop the desk in the doctor's charting area, the cat peers down the two wings of the nursing home's advanced dementia unit. All quiet on the western and eastern fronts. Slowly, he rises and extravagantly stretches his 2-year-old frame, first backward and then forward. He sits up and considers his next move.

In the distance, a resident approaches. It is Mrs. P., who has been living on the dementia unit's third floor for 3 years now. She has long forgotten her family, even though they visit her almost daily. Moderately disheveled after eating her lunch, half of which she now wears on her shirt, Mrs. P. is taking one of her many aimless strolls to nowhere. She glides toward Oscar, pushing her walker and muttering to herself with complete disregard for her surroundings. Perturbed, Oscar watches hercarefully and, as she walks by, lets out a gentle hiss, a rattlesnake-like warning that says "leave me alone." She passes him without a glance and continues down the hallway. Oscar is relieved. It is not yet Mrs. P.'s time, and he wants nothing to do with her.

Oscar jumps down off the desk, relieved to be once more alone and in control of his domain. He takes a few moments to drink from his water bowl and grab a quick bite. Satisfied, he enjoys another stretch and sets out on his rounds. Oscar decides to head down the west wing first, along the way sidestepping Mr. S., who is slumped over on a couch in the hallway. With lips slightly pursed, he snores peacefully — perhaps blissfully unaware of where he is now living. Oscar continues down the hallway until he reaches its end and Room 310. The door is closed, so Oscar sits and waits. He has important business here.


(David M. Dosa, M.D., M.P.H., The New England Journal of Medicine, July 26, 2007)