domingo, 3 de fevereiro de 2008

matenidades

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava.

Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
houve estrelas a mais…
Somente, esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém…
Para que o dia fosse enorme,
bastavatoda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe.

Sebastião da Gama



Mãe,
Conheço a tua força e a tua fragilidade.
Uma e outra têm a tua coragem, o teu alento vital.
( … )
vejo-te mulher de trabalho, sempre frágil e forte.

A. Ramos Rosa






(Não, não faço anos, a minha Mãe também não, ainda não vou ser mamã, e, se estou grávida, é na cabeça e no coração... É apenas para ficar de registo, pela minha passagem de 3 semanas na Maternidade, a cuidar das Mães e dos seus Filhotes.)

5 comentários:

Bia disse...

olá, menina bonita :)*

Menina Lua disse...

é, há experiências que (nos) valem muito, muito a pena! =')

guarda-a dentro de ti, sei que o farás. (: *

Saraï disse...

... e felizes são também as mães de cabeça e de coração...
bj

r, disse...

ai quem me dera a mim poder ter uma experiência assim. deve ser tão fantástico. *

Joana disse...

(: já ouvi falar dessa tua experiencia.. não é para todos, mesmo. és uma sortuda! =D *